(11) 2081.9572 (11) 99209.4021

Opção Etiquetas e Rótulos adesivos

Opção Etiquetas e Rótulos adesivos

Serviços Impressos

Somos associados a GS1 Brasil.

Padrões de Código de Barras

LConheça as tecnologias portadoras de dados, existentes para transporte das informações entre bancos de dados e sistemas de informação em todo mundo. O Sistema GS1 faz uso de algumas delas, listadas aqui com informações detalhadas.
Data Carriers/Portadores de Dados.

Espaço Opção Etiquetas

|||| Códigos de Barras Lineares e Bidimensionais

Os códigos de barras são utilizados para representar uma numeração (identificação) atribuída a produtos, unidades logísticas, localizações, ativos fixos e retornáveis, documentos, contêineres, cargas e serviços facilitando a captura de dados através de leitores (scanners) e coletores de código de barras, propiciando a automação de processos e trazendo eficiência, maior controle e confiabilidade para a empresa. A GS1 padroniza e gerencia um conjunto de códigos de barras destinados a diversas aplicações.

|||| GS1 DataBar

Compreende uma família de códigos que podem ser escaneados no ponto de venda, podem ser muito menores do que o os códigos EAN/UPC e podem, ainda, codificar informações adicionais como número serial, número de lote e/ou data de validade. É uma tendência global utilizar este código no setor de FLV – frutas, verduras e legumes.

|||| ITF-14

Código de barras desenvolvido para codificar apenas GTINs, pode ser impresso diretamente em substrato corrugado (caixa de papelão) oferecendo um bom desempenho de leitura.

Não pode ser utilizado para identificar itens comerciais que passarão pelo ponto de venda.

|||| GS1 QR Code

O código GS1 QR Code visa agregar valor para os associados que já utilizam outros padrões ou empresas que desejam utilizar.

O QR Code é um código de barras bidimensional composto por pontos escuros, dispostos em um quadrado sobre um fundo branco. Trata-se de dados baseados em texto, que foram codificados para serem lidos por leitores de imagem, softwares ou aplicativos de smartphones. Este código se tornou popular pela sua grande capacidade de armazenamento em comparação com os códigos de barras lineares, com capacidade de até 4.396 caracteres e finalidade diretamente ligada ao marketing do produto.

O foco deste padrão é na Embalagem Estendida do produto, ou seja, por meio de uma URL informada, mostra informações que não estão visíveis no produto já identificado com padrão GS1, propiciando aos consumidores acesso às informações adicionais ou aos serviços referentes aos produtos, inclusive permitindo redirecionamento para conteúdo do website do produto ou empresa.

Desde sua introdução, o Código QR ganhou ampla aceitação em vários setores tais como fabricação, armazenagem e logística, varejo, transporte e, mais recentemente, nos aplicativos para telefones celulares.

A Embalagem Estendida é uma abordagem que propicia aos consumidores acesso às informações que não estão visíveis no produto já identificado com padrão GS1. Para os produtos de consumo, a recomendação é utilizar o GS1 QR Code quando os donos da marcas desejarem codificar um link para seu website

A Embalagem Estendida é uma abordagem que propicia aos consumidores acesso às informações que não estão visíveis no produto já identificado com padrão GS1. Para os produtos de consumo, a recomendação é utilizar o GS1 QR Code quando os donos da marcas desejarem codificar um link para seu website

O benefício da utilização do GS1 QR Code é que ele permite a utilização das informações do Sistema GS1, cujo QR Code genérico não faz. O uso do GS1 QR Code aumenta o seu atual investimento nos Padrões do Sistema GS1. À medida que tendemos a promover o uso do GS1 QR Code para aplicações comerciais, ele pode ser usado em toda a cadeia de suprimentos entre os parceiros comerciais, conforme o GS1 QR Code possui a capacidade de conter os atributos de dados tais como lote/batch, data de vencimento etc. O GS1 QR Code é baseado em padrões, portanto os parceiros comerciais “falam a mesma língua”, garantindo exclusividade na identificação do produto por meio do uso do Número Global de Item Comercial (GTIN) e do Número de Componente de Embalagem (PCN). O GS1 QR Code proporciona uma simbologia padrão para acessar a Fonte de Dados Confiáveis da GS1.

A tecnologia Mobile e aplicativos existentes leem informações baseadas em “textos” e URL, ou seja, se houver a criação e utilização de um QR Code, onde nele haja informações do GTIN, ele lerá todas, no entanto em formato “texto”. A GS1 Brasil está desenvolvendo aplicativos mais direcionados à leitura do GS1 QR Code com o GTIN onde seja possível explorar mais as informações inseridas no GS1 QR Code.

|||| Tag RFID

A identificação por radiofrequência (Radio Frequency Identification) utiliza um microchip menor que 1mm² envolto em uma antena que pode variar de tamanho de alguns milímetros a alguns centímetros. Este tipo de portador de dados permite a captura dos dados sem a necessidade de visada direta, ou seja, os produtos podem conter o microchip num local não visível ao olho humano.

|||| GS1-128

Código de barras que permite codificar todas as Chaves GS1.

Utilizado na gestão logística e de rastreabilidade por meio da codificação de informações adicionais como número serial, número de lote, data de validade, quantidades, número de pedido do cliente, etc.
Não pode ser utilizado para identificar itens que passarão pelo ponto de venda (PDV)

|||| GS1 DataMatrix

Símbolo bidimensional para aplicações especiais, que permite codificar informações em espaços muito menores que os códigos lineares e agregar informações adicionais como código do produto, lote e validade. Tornou-se o principal código do segmento hospitalar por permitir a identificação de itens tão pequenos quanto uma ampola de 5ml, permitindo a rastreabilidade e garantido a segurança do paciente.

O GS1 DataMatrix exige um leitor de código de barras bidimensional, por isso não deve ser utilizado para identificação de itens que precisam passar pelo ponto de venda que possui apenas leitores lineares.

|||| EAN/UPC

O código EAN/UPC foi desenvolvido especificamente para leitura no PDV (ponto de venda), devido à agilidade propiciada na captura da informação.

Este padrão auxilia na identificação de itens comerciais, através do uso de estrutura numérica do código, representado abaixo das barras.

Pode-se dividir a aplicação do código de barras EAN/UPC em etapas distintas:

1ª Etapa: Estruturar as numerações exclusivas para cada item comercial por meio da criação do GTIN (Número Global de Item Comercial, também conhecido por EAN-13).

2ª Etapa: Escolher, produzir e aplicar o código de barras adequado para representar a numeração de identificação dos itens.

Para identificação de itens comerciais vendidos ao varejo, na maioria das vezes, o GTIN é representado na estrutura numérica GTIN-13, composta por 13 dígitos, que jamais deve ser separada no cadastro e referência gerais dos itens, pois somente a combinação completa dos dígitos garante a exclusividade das numerações no mercado.

Faça um Orçamento

Estamos à disposição para atendê-lo.